terça-feira, 18 de setembro de 2012

UnB, a Nova Jerusalém marxista


“Completou-se o tempo e o Reino do Proletariado está próximo; arrependei-vos e crede no Manifesto.” Essa infame paródia do Evangelho (Marcos 1, 15) é algo que certamente traduz bastante o espírito de certas mentes revolucionárias que há décadas se valem da universidade para a doutrinação ideológica e para a legitimação acadêmica de seus dogmas, que nasceram deslocados da realidade mais profunda do ser humano. Isso não é novidade. A novidade é que, pouco a pouco, parece que alguns se esquecem dos cânones gramscianos e, digamos assim, perdem a vergonha na cara.

Entre os dias 22 e 26 de outubro, acontecerá na UnB a Semana Universitária. O evento costuma ter por objetivo abrir as portas da universidade à comunidade geral através de meios específicos – palestras, seminários, exposições, dentre outros – e promover atividades diversas de extensão. É um acontecimento central na vida da Universidade de Brasília. E, neste ano, teremos uma grande novidade.

Como todos devem (ou deveriam) saber, há na UnB o Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares (CEAM), que agrega diversos núcleos de estudos temáticos. Os objetivos do CEAM são: “renovar conhecimentos;  unir ciência e humanismo para cumprir sua função social; integrar e dinamizar a universidade; conciliar o avanço científico especializado, de ponta, e o compromisso com a transformação social; recuperar a universalidade da ciência e do saber; socializar o conhecimento; e deselitizar o saber.” Alguns dos núcleos do CEAM oscilam entre delírios de pseudo-ciência – como o Núcleo de Estudos de Fenômenos Paranormais (NEFP), que “realiza pesquisas em conscienciologia, terapias integrativas, ufologia e astrologia” – e o mais rasteiro proselitismo político-ideológico – como o Núcleo de Estudos Cubanos (NESCUBA), que, nas palavras de sua própria coordenadora, tem por objetivo fazer propaganda da Revolução Cubana e do governo castrista.

Esse ano, mais um núcleo será criado pelo CEAM: o Núcleo de Estudos e Pesquisa Marxistas – NEMARX. De acordo com o site da Semana Universitária:
O “Núcleo de Estudos e Pesquisa Marxistas – NEMARX/UnB” pretende promover vínculos entre os grupos de pesquisa e extensão dos departamentos da UnB que tem por objeto a temática marxista e seus desdobramentos na organização da classe trabalhadora. Da mesma forma, busca estabelecer relações interinstitucionais com outros núcleos de pesquisa e extensão de outras universidades brasileiras.
Nossa sugestão de logo para o NEMARX/UnB. Lindo, não é?

Não basta termos cursos inteiramente orientados pela cantilena marxista – como Serviço Social, em cujo departamento pode-se encontrar uma foto imensa de um garboso Karl Marx ainda jovem –, ou a abundância de grupos de inspiração marxista que promovem, oficial e oficiosamente, o patrulhamento ideológico: é preciso também, pelo visto, um núcleo duro que coordene todo o trabalho de manutenção do status quo ideológico dentro da Universidade de Brasília. E tudo isso, claro, custeado com dinheiro público.

Georges Sorel, o pai do Sindicalismo, defendia que, para organizar as massas, era necessário que Marx fosse visto como um profeta, e seus escritos, como dogmas esotéricos. Na Universidade de Brasília, isso é pouco: Karl Marx é o verdadeiro Messias, e a UnB é sua Nova Jerusalém, de onde começará o Reino do Proletariado. 

Arrependei-vos, pois, fariseus burgueses e hereges capitalistas, e crede no Manifesto!

Um comentário:

  1. O logo ficou demais!

    Cara, a UnB do B está cada vez mais insuportável, o cemitério tem um ar mais leve!

    Será que é por ter menos militância?
    Ou por ter mais gente honesta?

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia a política de comentários do blog. E lembre-se: o anonimato é, muitas vezes, o refúgio dos canalhas.