terça-feira, 11 de setembro de 2012

UnB cai em ranking internacional de universidades


Foi divulgada essa semana a nova lista do QS World University Rankings®, um dos melhores e mais prestigiosos rankings universitários internacionais. Além de listar as melhores universidades a nível mundial, a listagem também é dividida por regiões.

A edição de 2011 do QS World University Rankings® foi a primeira a analisar de modo mais pormenorizado as universidades da América Latina. Nessa edição, o pódio ficou com a Universidade de São Paulo (1º lugar), a Pontifícia Universidade Católica do Chile (2º lugar) e a Universidade de Campinas (3º lugar). A Universidade de Brasília apareceu na 11ª colocação regional, ficando entre as posições 551ª e 600ª a nível mundial. Apesar do fraco desempenho global, a posição regional da UnB não foi das piores.

No entanto, o desempenho da Universidade de Brasília sofreu uma queda assustadora neste ano: passamos para a 25ª posição geral regional – uma queda de 14 posições em comparação com o ano passado. Alguns índices específicos da UnB apresentam desempenho ainda pior: estamos na 134ª posição latino-americana em reputação empregatícia e 112ª posição latino-americana em citações por paper. Para saber mais, acesse aqui o ranking da América Latina.

Essa regressão da posição da Universidade de Brasília dentro de um contexto internacional mostra claramente que, ao contrário do que os serviços oficiais de propaganda têm tentado alardear, a situação da instituição está cada dia pior. O Grande Timoneiro José Geraldo afirmou recentemente: “Qualquer que seja o ranking considerado, confirmamos a linha ascendente e contínua da percepção de qualidade da UnB pela sociedade.” É um tanto estranho pensar em uma queda de 14 posições num dos mais respeitados rankings internacionais de instituições de ensino superior como sendo uma “linha ascendente e contínua”... Mas, afinal de contas, nunca se sabe, não é?

4 comentários:

  1. Mas, Felipe, o Zé e a sua sucessora, Abrahão, já têm a resposta na língua para essa crítica, como a todas as outras, pois eles jamais erram! Então, a UnB não perdeu qualidade, foram as outras universidades de melhoraram mais e deixaram a UnB para trás. hauhauha

    ResponderExcluir
  2. O ITA não entra nesse ranking por só ter engenharias?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Giorgio,

      Creio que nem o ITA nem o IME entram na contagem porque não são universidades propriamente, mas institutos de educação superior das forças armadas.

      Excluir
    2. Certo, Felipe, obrigado pela resposta.

      Excluir

Antes de comentar, leia a política de comentários do blog. E lembre-se: o anonimato é, muitas vezes, o refúgio dos canalhas.