quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Neymar, o Messias

Recentemente, uma série de distúrbios seriíssimos estourou no Oriente Médio e cercanias em virtude de um filme caseiro que fazia troça de Maomé e dos muçulmanos. Aproximadamente uma centena de pessoas foram mortas nos protestos que rasgaram o mundo islâmico – inclusive o então embaixador dos Estados Unidos na Líbia, Chris Stevens –, centenas de milhares de pessoas foram mobilizadas por clérigos islâmicos para mostrar a sua revolta de modo sangrento, e os velhos discursos contra o “Grande Satã” do Ocidente ecoaram novamente com força total. Curiosamente, a tradução e divulgação do filme no mundo islâmico foi promovida justamente por grupos radicais.

A celeuma estava pronta. Diversas lideranças mundiais condenaram tanto o filme (bobo e de muito mau gosto) quanto sua instrumentalização pelos líderes islâmicos, o diretor do filmeco teve o nome e o endereço divulgado pelas autoridades americanas, diversas ações judiciais correram o mundo, inclusive no Brasil, para proibir seu acesso, e, como sói acontecer, a turma de plantão do pluralismo e tolerância rosnou junto com os radicais.

Agora, vejam a imagem abaixo:


Essa, senhoras e senhores, é a capa da edição de outubro da revista Placar. Para qualquer pessoa com um mínimo de senso das coisas, essa capa parece desnecessariamente apelativa. Por quê? Ela nivela duas figuras essencial e completamente diferentes: endeusa alguém à custa da secularização de Alguém que, para 1/3 do gênero humano, é Deus feito homem. Comparar Neymar a Jesus Cristo, sobretudo da forma como isso foi feito, é, no mínimo, uma maneira bastante discutível de aumentar as vendas de uma revista – o que parece ser o único desejo da editora em questão. Para muitas pessoas, e eu me incluo nessa conta, essa capa não é apenas inadequada, mas despropositadamente ofensiva.

Decerto não veremos o Papa Bento XVI ou qualquer outro líder cristão de importância mundial conclamando uma guerra santa contra a revista, nem haverá aglomerações de pessoas em passeata atirando para o alto e atacando a polícia, muito menos matando qualquer pessoa, por conta dessa capa lamentável. Mas engana-se quem pensa que devemos ficar simplesmente passivos diante de algo aparentemente sem importância: é nosso direito – e, sobretudo àqueles que abraçam a fé cristã, um dever – manifestar nosso repúdio.

Acessem a página da revista Placar em que se encontra a notícia da capa e deixem seu comentário. Divulguem para outras pessoas e peçam que façam o mesmo. Não deixem isso passar em branco. E vamos esperar para ver se nossos amigos politicamente corretos dedicarão suas excelsas atenções a esse fato.

15 comentários:

  1. Lamentável a capa da revista!
    Já deixei minha indignação na editora.

    ResponderExcluir
  2. Vamos ver se os cristão saírem nas ruas em protesto contra a revista o que a mídia e os militantes falaram.

    Ah está tendo uma petição na internet contra a revista? Podem ajudar a divulgar?


    http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoAssinar.aspx?pi=P2012N29501

    Obrigado

    ResponderExcluir
  3. já fiz minha parte,comentei no site da placar....abraços,parabéns pelo blog...

    ResponderExcluir
  4. Nenhuma surpresa, aliás, vindo da editora dessa revista. É a mesma que publica folhetins impregnados de ranço anticristão, como a superDESinteressante e a Aventuras na EStória (estórias de ódio ao Cristianismo, frise-se).

    A sua postagem é muito boa e instiga-nos a perguntar onde estão, nessa hora, os mesmos "intelectuais" tão cheios de zelo com o islamismo, o laicismo, o abortismo, as ditaduras das minorias, porém se calam, hipócrita e cinicamente, quando o foco é o preconceito e a estupidez contra a religião cristã.

    ResponderExcluir
  5. email do Ministério Publico Federal para denunciar a Placar por vilipendio à Fé: pfdc@pgr.mpf.gov.br
    Não basta clicar +1, tem que agir como Cristão e exigir cadeia para os blasfemadores públicos! Mesmo que eles em novembro publiquem uma capa ofensiva a Maomé - quero ver se tem coragem mesmo!!!! - isso não repararia a ofensa, afinal Maomé não é ninguem, apenas um homem, Cristo é Deus!

    ResponderExcluir
  6. Bom dia caro blogueiro:

    Você poderia traduzir e publicar o discurso de Benjamim Netanyahu na ONU ontem?

    Lei o artigo do www.wnd.com sobre o discurso que o mundo está ignorando de um Irã nuclear. Estamos às portas de uma Guerra Mundial!

    Link: http://www.wnd.com/2012/09/read-netanyahus-warning-about-iran/?cat_orig=world

    ResponderExcluir
  7. E pra piorar um pouco a história, o grande craque do meu time do coração é evangélico, bem como toda a família dele. Neymar jamais deveria ter concordado em aparecer desse jeito nessa revista.
    Fernando José - SP

    ResponderExcluir
  8. Felipe,

    Você tocou num ponto muito importante. Sabendo como aqueles países funcionam, muito me intrigou como começaram a reagir de forma tão sincrônica e coordenada. Já achei a divulgação do filme em setembro muito suspeita.
    Ainda saberemos os motivos de seu surgimento, mas que foi usado para as explosões sociais, isso foi. Assim como a tal primavera árabe (mais para pesadelo), creio que tudo começa nas sacristias - o nome é esse?) das mesquitas.
    Gostei do seu artigo. Os cristãos são mansos demais; há falta de reações. Os editores -jornalistas são pelo estado laico- sabem muito bem que o fundo civilizacional é cristão e que seus símbolos tem forte apelo comunicacional. Então chutam Cristo, a Cruz e outros símbolos religiosos.
    Mas não precisamos mandar matar alguém, pagar para matar, colocar fogo em prédios, criar turmultos. Precisamos mostrar que não gostamos de tais agressões e que elas terão consequências. Empresas de comunicação dependem de leitores e audiência; por consequência, anunciantes. Os anunciantes estão concordando com a ofensa aos cristãos? Boicotemos seus produtos e serviços.

    Abraço
    Gutenberg J.

    ResponderExcluir
  9. Petição contra a revista "Placar":


    http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2012N29501

    ResponderExcluir
  10. Olha, eu nem sou cristão, mas por que é que cristão não tem direito de ficar puto e reclamar?

    Se fazem uma brincadeira ou um desenho com o profeta islâmico (não falo o nome dele porque dá azar), dá em eminencia de guerra e o mundo inteiro dá ataque de pelanca. Fazem um monte de putaria com a cruz e com o nazareno e ninguém fala nada, e se falar não é ouvido.

    O que se pode fazer?

    ResponderExcluir
  11. E que vão à puta que os pariu os jogadores de futebol.

    ResponderExcluir
  12. Felipe, não só um acinte grosseiro mas também um plágio criminoso, uma imitação tosca da revista esportiva espanhola Don Balon que numa edição de 1977 publicou uma capa com o craque holandês Cruyff crucificado gerando grande polêmica então. Confira no link abaixo:

    http://www.as.com/futbol/articulo/polemica-crucifixion-neymar-revista-placar/20120928dasdasftb_5/Tes

    Sugiro a desmoralização e desqualificação do imbecil como "plagiador".

    ResponderExcluir
  13. Além de plagiador, Maurício Barros é também desonesto ao afirmar que: “Acho que pode haver a comparação porque Jesus Cristo foi o crucificado mais famoso, mas a nossa analogia é com a execução, como a crucificação como elemento histórico de execução pública”.

    Que explique o porquê daquele ferimento do lado direito do corpo do Neymar, no exato local em que o corpo de Jesus foi transpassado com uma lança.

    ResponderExcluir
  14. Eis UM REDATOR MENTECAPTO que não aprendeu a se respeitar, muito menos aos outros. Um dia ele será a vitima do que semeou. Ainda ele disse que achou!!!

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia a política de comentários do blog. E lembre-se: o anonimato é, muitas vezes, o refúgio dos canalhas.