quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Ocupe você também!

Vê-se, nos últimos dias, um dos eventos mais inspiradores da atualidade: o movimento Occupy Wall Street. Milhares de jovens de classe média e classe média-alta protestanto contra o malvado sistema capitalista e suas corporações sanguinolentas. Registrando cada momento de fúria libertária com suas câmeras Nikkon ou suas filmadoras Sony, atualizando os amigos sobre os acontecimentos através do Twitter e enchendo os murais alheios do Facebook com ditos revolucionários, democráticos e populares -- tudo através de seus smartphones e tablets comprados com a suada mesada que ganharam de seus papais e de suas mamães, que trabalham a alguns quarteirões dos protestos --, esses guerreiros da liberdade estão ameaçando de uma vez por todas os alicerces sobre os quais o Grande Satã & Encarnação do Mal Eterno, os Estados Unidos da América, foram erguidos. O fato de que todos os que estão ocupando Wall Street serem beneficiários da cruel lógica do grande capital é um mero detalhe.

Mensagens de solidariedade e reconhecimento não param de ser enviadas aos bravos lutadores pela verdadeira democracia. Os líderes da gloriosa revolta que derrubou o sanguinário Hosni Mubarak, no Egito -- e que, mais tarde, facilitaram a invasão à embaixada do Pequeno Satã, vulgo Israel, e o justiçamento de perigosos inimigos da revolução --, saudaram o Occupy Wall Street como sendo o mais forte eco da Primevera Árabe no Ocidente. Os indômitos e incansáveis companheiros de luta de Londres, que abalaram as estruturas do sistema conservador nazifascista de direita inglês deixando de lado toda essa baboseira de legalismo e ação engessada, também enviaram saudações calorosas aos novos partisans estadunidenses.

O movimento Occupy Wall Street foi idealizado pela organização NYC General Assembly -- um grupo que reúne artistas, escritores, intelectuais, estudantes e sindicalistas, ou seja, a intelligentsia vanguardista dos liberals de Nova York (praticamente uma mistura de CUT, UNE e a folha de pagamento do Ministério da Cultura) -- e conta com o apoio de outros grupos, como o Adbusters (acreditam que toda propaganda é lavagem cerebral cerceadora dos direitos de escolha do cidadão) e o Anonymous (os sujeitos que devem fazer Alan Moore, o reacionário criador de "V de Vingança", se retorcer de raiva). O movimento também tem apoio de gente importante e admirada nos Estados Unidos, como Susan Sarandon e Michael Moore. E, bom, se a Sarandon e o Moore apóiam, deve ser uma coisa boa, né? Bonita certamente é: os sujeitos são tão democráticos que têm até um guia de uniformização de comunicações para as reuniões. Isso sim que é defender a igualdade!

Aliás, como são diferentes esses novos heróis americanos -- jovens, inteligentes, democratas -- daqueles caipirões racistas e broncos do Tea Party! Quer um discurso de ódio pior que o de exigir que o governo não cobre mais impostos de quem produz mais? Quer um discurso mais racista do que falar que o primeiro presidente negro dos Estados Unidos é um socialista com inspirações totalitárias disfarçado de bom moço? Isso não é liberdade de expressão, isso é crime -- ao contrário de defender a decapitação de banqueiros. Aliás, para quem ainda não sabe como identificar um guerreiro da liberdade e um sicofanta reacionário (onde foi que eu ouvi isso mesmo?), aí vai (com os devidos créditos ao camarada Bruno Garschagen):


P.S.: Em um de seus momentos de inspiração intelectual (e, convenhamos, não eram poucos), Paulo Francis soltou a seguinte frase: "A ignorância é a maior multinacional do mundo." Hoje em dia, é mais que isso: a ignorância transformou-se em ideologia, em estilo de vida, na religião que mais cresce no mundo. Só não vê quem não quer.

6 comentários:

  1. Sente a lavagemm cerebral e a desonestidade:

    http://papodehomem.com.br/empresas-tem-psicopatas/

    Acho terrível isso, meu caro. Dia vai chegar em que ou nós encima deles passamos ou passam encima da gente. Eu choro pela humanidade.

    ResponderExcluir
  2. É, reaças, se cuidem. Os ventos estão mudando.

    ResponderExcluir
  3. DGA, foi difícil não rir lendo esse texto do PDH. Ou o cara é desonesto mesmo, ou é só mais um idiota útil na mão da "liberal media".

    E Anônimo, vocês cantam essa ladainha há mais de 100 anos. Get over it.

    ResponderExcluir
  4. Nazistas:
    Mundo melhor = extinção dos judeus.

    Comunistas:
    Mundo melhor = extinção da burguesia.

    A idéia é a mesma. Vão tomar no cu.

    ResponderExcluir
  5. Vejam:

    http://alexandreleuzinger.blogspot.com/2011/10/ocupe-voce-tambem-recomendo-o-texto.html

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia a política de comentários do blog. E lembre-se: o anonimato é, muitas vezes, o refúgio dos canalhas.