segunda-feira, 2 de maio de 2011

A UnB e o jornalismo maoísta

Hoje de tarde, a direção do Hospital Universitário de Brasília (HUB) entregou carta de demissão coletiva ao Magnífico Reitor José Geraldo de Sousa Júnior, o Grande Timoneiro da UnB. O motivo da demissão é a divergência de postura entre a administração da UnB e a direção do HUB com relação à criação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) - mais úbere cheio de tetas macias e fartas para a companheirada encher a barriga com o nosso dinheiro sob o pretexto esfarrapado de melhorar a qualidade dos serviços públicos. Segue abaixo a íntegra da carta:

Brasília 02 de maio de 2011

Magnífico Reitor José Geraldo de Sousa Junior

Magnífico Reitor,
Considerando a evidente divergência de postura ideológica e prática entre a administração superior da Universidade de Brasília em relação à proposta do Ministério da Educação, contida na Medida Provisória 520, o Diretor Geral, a Diretora Adjunta de Ensino e Pesquisa, a Diretora Adjunta de Serviços Assistenciais e a Diretora Adjunta Executiva o Hospital Universitário de Brasília apresentam, por meio desta carta, seu pedido de demissão em caráter
irrevogável.

Ficamos à disposição da instituição para garantir a transferência tranquila do cargo para os novos diretores sem afetar a segurança dos pacientes e as atividades dos profissionais em treinamento no HUB.

Gustavo Adolfo Sierra Romero
Maria Imaculada Muniz Barboza Junqueira
Elza Ferreira Noronha
Laene Pedro Gama


O foco desse pequeno texto não é, entretanto, discutir o mérito dessa atitude, muito menos investigar os meandros dessa proposta estapafúrdia do governo federal, mas sim chamar a atenção para um fato interessante: o fato foi noticiado nos sites de, pelo menos, três grandes jornais (dentre eles, o G1, da Globo); entretanto, não há uma única nota, lembrete ou menção a esse fato - cuja importância para a UnB e a comunidade que depende do HUB - no Portal da UnB. Para não nos acusarem de estarmos sendo maldosos, segue abaixo duas imagens retiradas agora há pouco do Portal da UnB:



A tal da isenção jornalística é coisa desconhecida do pessoal da Secretaria de Comunicação da UnB (Secom). Como o fato atinge diretamente a imagem do Grande Timoneiro, é ignorado, como se não existisse. É como acontece com os jornais chineses, que são proibidos de falar qualquer coisa que chegue perto de macular a imagem do governo. Acontece que, nesse caso, não há censura imposta: há desinformação como vocação, quase como ofício de fé.

Que orgulho de ser UnB!

3 comentários:

  1. Caro colega chinês: leia o portal. Está lá a matéria. Não há desinformação, pelo contrário, há mais informação do que vc tinha antes de escrever essa bobagem.

    ResponderExcluir
  2. É sempre bom saber que o pessoal resolve mostrar serviço quando alguém joga o estrume no ventilador. :)

    ResponderExcluir
  3. Percebe-se que o anonimo das 23:26 é um reporter pau-mandado da Bia Magno, da Secom, ou um amigo íntimo do Zé do MST.

    Nunca reconhecem a verdade... Quando o corservador postou seu artigo (e quando eu postei o meu) nao tinha NADA, repito, NADA, no site da Bia Magno, digo, no Portal da UnB.

    abraços
    Marcelo Hermes-Lima, PhD
    1598 citaçoes científicas
    Fator H = 22

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia a política de comentários do blog. E lembre-se: o anonimato é, muitas vezes, o refúgio dos canalhas.