quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Greve, vagabundagem e perseguição na UnB

No dia 21 de setembro, os servidores da UnB, em assembleia, decidiram, em votação unânime, retomarem as atividades que haviam sido interrompidas no dia 16 de março. Foi a greve mais longa da história do País, totalizando seis meses e uma semana (ou 187 dias). O retorno às atividades foi decidido após a Ministra Carmen Lúcia, do STF, ter concedido liminar, no dia 16 de setembro, que garantia o pagamento da URP a todos os servidores técnico-administrativos da mesma forma como era feito antes de todo esse imbróglio.

No dia 20 de setembro, a Advocacia-Geral da União (AGU) encaminhou parecer à UnB onde determinava que o pagamento da URP teria de ser feito com base nos vencimentos de 2005 e apenas aos trabalhadores sindicalizados. O Sindicato dos Trabalhadores da Fundação Universidade de Brasília (Sintfub), ante o parecer da AGU, encaminhou contestação e convocou nova assembleia para o dia 28 de setembro, ontem, em que seria decidido a possível retomada da greve. Durante a assembleia, a secretária de Recursos Humanos da UnB, Gilca Starling, leu a resposta da AGU à contestação: os pagamentos deveriam ser feitos com base nos vencimentos atuais e para todos os funcionários. Apesar de resolvido o problema, a assembleia do Sintfub decidiu pela retomada da greve.

Diante de toda essa novela interminável, muitas críticas foram feitas contra os servidores. Um dos maiores críticos da greve foi o Prof. Marcelo Hermes-Lima, do Instituto de Biologia. Em seu blog, sempre foi crítico contumaz do movimento grevista. Expressando sua opinião sobre a greve, disse:

O pior dessa estória, é que cerca de metade dos funcionários da UnB não entram em greve. Mas eles precisam trabalhar dobrado para suprir as necessidades do serviço na universidade, já que a outra metade da tchurma (Los Vagabundos) está jogando baralho ou de férias permanentes em Maceió!

A reação às críticas do Prof. Marcelo foi, no mínimo, emblemática: ameaçaram sua integridade física. Sabe o clássico "te pego na saída", típico da turma do valentão da classe no colégio? Exatamente isso. Como se não bastasse o destempero e o despropósito dessa ameaça, foi divulgado que se pretende entrar com uma ação judicial contra o Prof. Marcelo por calúnia, injúria e difamação. O curioso mesmo é que o Prof. Marcelo não foi o primeiro - nem o único - a falar sobre isso. Leiam a declaração abaixo.

Quando eu entrava em greve, eu sabia que a cada dia de greve eu perdia o domingo. Eu sabia que com um determinado número de dias de greve eu perdia o Fundo de Garantia, eu perdia o 13º, eu perdia as férias. Então, quando eu determinava uma greve, eu sabia que era uma disputa em que eu podia ganhar e podia perder. Mas algumas categorias entram em greve e ficam 40, 50, 60, 80, 90, 100 dias de greve e recebem o pagamento. Você pode chamar isso de greve? Não. Isso, na verdade, são férias, na minha concepção sindical.


Quem fez essas declarações? Ninguém menos que o presidente Lula, que, vale lembrar, foi líder sindicalista. Uma pergunta que se impõe é: será que os servidores que ameaçaram o Prof. Marcelo também pretendem atacar fisicamente o Lula? Será que também pretendem processá-lo por calúnia, injúria e difamação?

Diante desse quadro alarmante, gostaríamos de ressuscitar uma pensadora que é, no geral, desconhecida e ignorada pela maioria das pessoas, mas que se configurou numa das maiores personalidades do século XX: Ayn Rand. A real natureza que permeia a ameaça à vida e à integridade do Prof. Marcelo foi bem explanada pela filósofa na seguinte afirmação:

"Nenhum homem - ou grupo, ou sociedade, ou governo - possui o direito de assumir o papel de um criminoso e começar a utilização da compulsão física contra qualquer homem. Os homens têm direito de usar a força física apenas em retaliação e apenas contra aqueles que iniciam seu uso. O princípio ético envolvido é simples e bem definido: é a diferença entre assassinato e legítima defesa. Um assaltante procura ganhar um valor ou riqueza matando sua vítima; a vítima não fica mais rica matando o assaltante. O princípio é: nenhum homem pode obter qualquer valor de outro recorrendo à força física." (RAND, Ayn. A virtude do egoísmo. São Paulo: Ortiz, 1991, p. 44)

A Juventude Conservadora da UnB presta seu incondicional apoio ao Prof. Marcelo Hermes-Lima e a todos aqueles que, em virtude da defesa de ideias que ameaçam o establishment ideológico em nossas universidades, são ameaçados e perseguidos, seja de maneira ilegal e imoral, seja com a interveniência do Estado.

4 comentários:

  1. Olá, sou aluno da UnB e simplesmente NÃO SABIA da existência de algo chamado Juventude Conservadora da UnB. Achei o blog de vocês no site do meu querido Capitão Bolsonaro. Sempre fiquei - como diz o popular - puto da cara com essa vergonha "revolucionária" purpurinada que domina as paredes e as cabeças vazias e coloridas da Universidade. Ainda mais no meu curso, Antropologia, onde quem não tem uma bandeira é alienígena e quem não apóia o movimento dos gays, dos pretos ou dos feministas ou seja lá qual for o nome (o que importa é apoiar algo, afinal), é criminoso e apóia a segregação. Afinal, mulher sem bandeira não é mulher. Preto sem bandeira não é preto. Gay que não participa dos protestos não pode ser gay de verdade. Me pergunto se os pretos que são bem suscedidos e realizados profissional e pessoalmente estão preocupados com isso ou se alguma vez já levaram a sério essa babação.
    Enfim, quero registrar para quem quer que escreva o blog que não sabia da existência porque não há publicação. Ou há e é sufocada pela publicidade bizarra da esquerda do campus. Não consigo mandar email pelo link de email do blog e quero saber como entrar em contato com vocês não só para VER PARA CRER mas também para ajudar na publicação que, ao meu ver, é deficiente. É bom saber que na UnB existem pessoas, não só os comunistas. Peço que respondam meu comentário me informando o email de contato do autor ou dos autores do blog. Publicar meu comentário ou não fica a critério da moderação, peço apenas que façam um novo comentário contendo o email de contato das pessoas responsáveis pelo blog.
    A essas, meus cumprimentos.

    ResponderExcluir
  2. Gustav,

    Agradecemos a mensagem! Nosso e-mail é unbconservadora@gmail.com. Aguardamos seu contato!

    Abraços conservadores!

    ResponderExcluir
  3. Este blog é muito bom mesmo. Dá de 10 no blog politiqueiro (e de direita) do Marcelo Hermes

    :o))

    ResponderExcluir
  4. Prof. MHL, lutamos para ser referência. E temos tido excelentes exemplos. =)

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia a política de comentários do blog. E lembre-se: o anonimato é, muitas vezes, o refúgio dos canalhas.