terça-feira, 14 de setembro de 2010

Dez princípios conservadores

Quando a Juventude Conservadora da UnB iniciou-se, muito se falou a respeito de seu nome. A denominação conservador tem, desde muito tempo - especialmente no Brasil -, sido associada a conceitos, pensamentos e ideários político-sociais nada benfazejos. Quando se pensa em um sujeito conservador, normalmente se pensa em uma pessoa com concepções profundamente preconceituosas a respeito da realidade, algo que se manifesta numa espécie de tríade maldita: racismo, machismo e fascismo. O nome para nosso grupo não foi, entretanto, escolhido ao acaso. Pelo contrário: foi justamente pensando que essa associação seria feita que nos intitulamos Juventude Conservadora. Foi um teaser, um termo que, servindo de agent provocateur, suscitaria discussões e mexeria com os brios dos que se apressam em dizer que são progressistas e democratas.

Entretanto, a denominação de conservador não foi escolhida única e exclusivamente para causar alvoroço - e, a partir desse alvoroço, estimular uma discussão verdadeiramente democrática sobre ideias e posicionamentos de toda sorte, notadamente os de ordem política. Ela também reflete, e de maneira pertinente, a postura dos membros do grupo frente aos assuntos que afetam não apenas os membros da comunidade acadêmica da Universidade de Brasília, mas a todos os brasileiros. Nesse contexto, é bastante pertinente esmiuçar o que vem a ser uma pessoa conservadora.

O pensador norteamericano Russell Kirk (1918-1994) foi um dos maiores pensadores dos século XX. Filósofo, crítico social e literário, além de escritor e historiador, Kirk ficou famoso por seu livro The Conservative Mind (1953), que norteou o pensamento conservador pós-Segunda Guerra nos EUA e dava ênfase especial às ideias do político irlandês Edmund Burke (1729-1797). Em seu livro The Politcs of Prudence (1993), Kirk enumera dez princípios que podem ser observados no pensamento conservador como um todo. São eles:


1) O conservador crê que existe uma ordem moral duradoura.

2) O conservador adere ao costume, à convenção e à continuidade.

3) O conservador acredita no princípio do preestabelecimento.

4) O conservador é guiado pelo princípio da prudência.

5) O conservador está atento ao princípio da variedade.

6) O conservador é refreado pelo princípio da imperfectibilidade.

7) O conservador acredita que liberdade e propriedade estão intimamente ligadas.

8) O conservador promove comunidade voluntárias e se opõe ao coletivismo involuntário.

9) O conservador percebe a necessidade de uma prudente contenção do poder e das paixões humanas.

10) O conservador compreende que a estabilidade e a mudança devem ser reconhecidas e reconciliadas em uma sociedade robusta.

Para compreender melhor cada um desses princípios, recomendamos a leitura do texto completo, que pode ser encontrado aqui.

Próximo post: Medo, vulnerabilidade pessoal e segurança na UnB.

6 comentários:

  1. Jovens,

    Parabens pelo excelente blog. Não deve ser nada fácil assumir uma bandeira que não seja alinhada à hegemonia de esquerda reinante, especialmente no ambiente universitário brasileiro.

    Fico feliz que a tradução "meia-boca" que fiz do texto de Kirk possa servir de inspiração a outros.

    Um abraço,
    Ivan Carlos P. da Cruz

    ResponderExcluir
  2. Ivan,

    Realmente, não é fácil navegar contra a corrente esquerdista que há tanto tempo domina as nossas universidades. O patrulhamento ideológico é tão absurdo que nos sentimos vigiados pela própria NKVD. Ainda assim, sabemos - e sentimos - que o contraponto que representamos é não somente desejável, mas imprescindível.

    Agradecemos a tradução do texto de Kirk. Num contexto onde pensadores marxistas são quase tidos como santos infalíveis, outros pontos de vista são necessários para a construção de um ambiente de ideias verdadeiramente democrático.

    Abraços conservadores!

    ResponderExcluir
  3. Caros, por acaso achei a pagina de vcs na internet e gostaria de congratula-los por esse movimento. Achei um sinal de que ainda existe uma luz no fim do tunel em haver um espaco conservador para discussao. Tenham fe e continuem lutando!

    ResponderExcluir
  4. M,

    Agradecemos muito o apoio! Continuaremos lutando, firmes e fortes!

    Abraços conservadores!

    ResponderExcluir
  5. E, permeando todas essas características, sensatez.
    Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  6. Pedro,

    Sensatez é algo tão basilar que deve nortear cada aspecto da vida, por menor e mais insignificante que possa parecer.

    Obrigado pela visita e pelo comentário! :)

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia a política de comentários do blog. E lembre-se: o anonimato é, muitas vezes, o refúgio dos canalhas.