quarta-feira, 28 de julho de 2010

As eleições estudantis da UnB

Nos dias 10 e 11 de agosto, a Universidade de Brasília será palco das eleições para o Diretório Central dos Estudantes (DCE) e para Representantes Discentes (RDs) para o Conselho Universitário (CONSUNI), o Conselho de Administração (CAD) e o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE). Existem cinco chapas concorrendo ao pleito: Amanhã Vai Ser Maior (chapa 1), Unidade Estudantil Classista (chapa 2), Quem Sabe Faz a Hora (chapa 3), AJR - Reconstruir o DCE pela Base (chapa 4) e Aliança pela Liberdade (chapa 5, que concorre somente para RD).


Ontem, aconteceu, com quase uma hora de atraso (estava marcado para as 18h00), o primeiro debate entre as chapas. O local do debate foi o Anfiteatro 11, no ICC, campus Darcy Ribeiro. O nível do debate foi, no geral, bastante fraco. Poucas foram as chapas que mostraram realmente a que vieram, com destaque para as chapas 1 e 5. A chapa 3 focou seu discurso em atacar a atual gestão, relembrando o "glorioso" movimento de ocupação da reitoria, em 2008, cujo estopim foi o escândalo Timothy. As chapas 2 e 4 fizeram o que sabem fazer melhor: esbravejaram contra os "burgueses reacionários" em mensagens abundantes de raiva e ausentes do mínimo bom-senso. A defesa (ou ausência) de propostas sólidas foi bastante significativa para se verificar quais chapas estão realmente empenhadas na construção de um projeto, seja ele qual for.

Em virtude disso, gostaríamos de incrementar o debate apresentando um perfil geral das chapas.


Nome: Amanhã Vai Ser Maior - Chapa 1
É vinculada a algum partido ou grupo externo? Sim: PT.
Principais propostas:
- "O que você tem aí?", projeto cultural que visa a divulgação da produção cultural dos estudantes da UnB;
- Criação da Revista Acadêmica dos Estudantes da UnB;
- Revitalização do Centro Olímpico;
- RU em todos os campi.
Análise: Representa pouco mais do que a continuidade da atual gestão do DCE, que, a bem da verdade, não atuou da maneira esperada em defesa dos estudantes. Ao que se sabe, o DCE atual não buscou medidas efetivas para cobrar, por exemplo, a conclusão dos campi ou a melhoria das condições de segurança da UnB. A cara pode ser diferente, mas a alma é a mesma.


Nome: Unidade Estudantil Classista - Chapa 2
É vinculada a algum partido ou grupo externo? Sim: Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR), Rede Estudantil Classista e Combativa (RECC), União Popular Anarquista (UNIPA).
Principais propostas:
- Acesso livre à universidade, com abolição do vestibular e do ENEM;
- Abolição das fundações de financiamento;
- Abolição do ensino à distância;
- Abolição das empresas-juniores;
- Abolição das PPPs.
Análise: O bolchevismo estudantil de araque está mais vivo do que nunca. Somente isso seria motivo suficiente não somente para não votar nessa chapa, mas para fazer campanha contra. Colocamos dois motivos adicionais: (1) a implosão da reunião do CEPE no dia 13 de maio desse ano; (2) depredação do patrimônio público na UnB através de pichações (Pavilhão João Calmon, Faculdade de Educação, Faculdade de Tecnologia) feitas pelos grupos que formaram a chapa.


Nome: Quem Sabe Faz a Hora - Chapa 3
É vinculada a algum partido ou grupo externo? Sim: PSTU e PSOL.
Principais propostas:
- Retomar as lutas simbolizadas pela invasão da reitoria em 2008.
Análise: A chapa 3 parece um museu: vive de passado. Seu argumento central é o de que as lutas estudantis que culminaram com a saída do reitor Timothy Mulholland foram esquecidas, e que é necessário retomá-las. Entretanto, a chapa não fez ainda uma exposição precisa acerca de que lutas são essas. Um fato bastante desabonador foi a participação dessa chapa na baderna da implosão da reunião do CEPE, que também teve participação da chapa 2. Outro fato que também fala contra a chapa foi algo que aconteceu nessa segunda-feira: um dos alunos que está participando do abaixo-assinado por mais segurança na UnB ouviu claramente ser chamado de reacionário por um dos integrantes da chapa. Lutar por mais segurança para todos na UnB é sinônimo de reacionário? É um ponto de vista bastante singular, para dizer o mínimo.


Nome: AJR - Reconstruir o DCE pela Base - Chapa 4
É vinculada a algum partido ou grupo externo? Sim: PCO.
Principais propostas:
- Abolição das empresas-juniores;
- Abolição das fundações de financiamento;
- Passe livre para estudantes e desempregados (?!);
- Abolição das festas pagas promovidas pelos CAs;
- Controle da universidade pelos estudantes.
Análise: Ostenta basicamente o mesmo discurso da chapa 2, o mesmo velho palavrório esgarçado dos pretensos bolcheviques universitários. A chapa é apenas uma seção da Aliança da Juventude Revolucionária (AJR), do PCO, que quer meter o bedelho no movimento estudantil.


Nome: Aliança pela Liberdade - Chapa 5
É vinculada a algum partido ou grupo externo? Não.
Principais propostas:
- Aumento do policiamento no campus;
- Apoio às fundações de fomento;
- Aumento das concessões para prestadores de serviços (lanchonetes, copiadoras, livrarias, etc.) dentro da UnB;
- Instalação de rede wi-fi gratuita;
- Efetividade e transparência dos gastos da UnB;
- Ingresso da BCE no CONSUNI.
Análise: A não-dependência de nenhum partido político ou grupo externo da universidade é um ponto extremamente positivo, pois garante a autonomia do grupo e a isenção na luta pelas demandas dos estudantes. A criação de um assento para a BCE dentro do CONSUNI é uma bandeira que nenhuma das outras chapas levantou, e que é bastante relevante no contexto da universidade. É a única chapa que defende abertamente a presença de mais policiamento na UnB como uma das medidas para efetiva segurança da comunidade acadêmica.


Não queremos que a cúpula do movimento estudantil permaneça inerte como está. Também não acreditamos que pessoas que vivem de passado consigam enxergar de maneira adequada os desafios do presente e do futuro. E, muito menos, desejamos que grupos extremistas, que recorrem a práticas antiéticas (e, muitas vezes, ilegais) de luta se encastelem nas estruturas institucionais do movimento estudantil. Queremos alunos conscientes dos problemas da universidade, que conheçam a instituição e suas deficiências, que defendam de fato a pluralidade de pensamentos e a democracia universitária, como representantes. É por isso que nos posicionamos em favor da Aliança pela Liberdade - Chapa 5.


Próximo post: Militância, revolução e criminalidade na UnB

11 comentários:

  1. Todo ano esses caras falam que sua chapa não é vinculada a partido algum, embora haja membros filiados a partidos. Como aconteceu desta vez, eles admitiram seus vínculos, ou o blog fala com base em outras informações?

    abraços,
    Pedro Paulo Melo.

    ResponderExcluir
  2. Pedro, a que chapa você se refere especificamente?

    ResponderExcluir
  3. A chapa 3 não quer subordinação a reitoria. A chapa 3 vaí pelo DCE INDEPENDENTE. DCE É DCE, reitoria é reitoria! Estamos tratando de política aqui! É muito fácil apontar o dedo e criticar uma chapa de esquerda, opositora, com propostas de mudança. Difícil é vestir a camisa e tentar fazer diferente. Como assim viver do passado? A ocupação da reitoria é um fato histórico! Isso mostra que integrantes da CHAPA 3 vem tentando mudar a situação e que isso não é de hoje. O movimento é significativo! Fazer alusão aos estudantes que lutaram contra a ditadura de 60 também deve ser museológico... "viver do passado". A respeito das lutas específicamente: Efetivação do congresso estatuinte paritário (direito conquistado pelos estudantes mas que não saiu do papel) onde o número de delegados nos três segmentos são improporcionais. SEDE DO DCE em todos os campi, ao invéz de 1 representante de cada um. Conclusão das obras em Ceilândia, Gama e Planaltina. Estrutura física, pessoal, bolsas e ônibus para os encontros acadêmicos. Fortalecer CEBs e assembléias. Por um DCE independente da reitoria e do governo. Agora... exigir, protestar, pressionar a reitoria por segurança, iluminação, formas abrangentes de integração estudantil arte e cultura, é OBRIGAÇÃO de qualquer chapa que assumir a nova gestão. Não sei se isso pode ser considerado "novas" "propostas". Enfim, a chapa 3 Quer concorrer porque os estudantes que a integram não se sentem bem representados pela atual gestão.

    Ibsen.
    Música.

    INTEGRANTE.
    CHAPA 3.
    COM MUITO ORGULHO.

    ResponderExcluir
  4. Ibsen, o que dizer de chamar um aluno de reacionário porque está mobilizando outras pessoas na UnB com o abaixo-assinado por mais segurança? Isso é um exemplo de representatividade, de legitimidade? Nenhum integrante da chapa 3 deu apoio a essa iniciativa. Ao contrário, ela virou motivo para acusar um estudante de algo que certamente não é. Como fica essa situação?

    ResponderExcluir
  5. Professor, pessoalmente eu não estava neste primeiro debate. Mas sobre essa questão de chamar o aluno de reacionário é importante lembrar se isso saiu da nossa chapa. Porque pelo que conversei com os colegas, TODAS as chapas estavam um pouco ansiosas (nervosas) no debate, por conta de ser o primeiro, por conta de não conhecermos muito bem as propostas. Garanto que hoje a coisa já esta mais organizada, as chapas já estão se respeitando mais por conta dos interesses envolvidos na classe estudantil como um todo, e estão se "cutucando" em pontos estratégicos porque é como eu disse, é política. Agora isso para mim reflete um pouco da insatisfação dos estudantes com o DCE e com a reitoria. Porque para o estudante querer fazer um abaixo assinado por segurança, os órgãos competentes deixaram a desejar, tanto o DCE por não pressionar, quanto a reitoria que só reage sob pressão. É importante lembrar que menos de 30% dos estudantes da universidade votam. 70% (arredondando pra cima) NÃO VOTAM! Agente está elegendo os representantes da universidade da capital do país com uma mínima parcela de estudantes que engloba (Plano p, Ceilândia, Planaltina e Gama). Isso também reflete uma insatisfação da parte dos estudantes e um descompromisso com política de uma maneira geral. Enfim, devemos parabenizar todas as chapas inscritas no processo de eleição porque esses alunos são esses 30% envolvidos. São correntes ideológicas diferentes, com visões diferentes, mas todas tem algo em comum, querer fazer alguma coisa pela maioria que não está "nem aí". Agradeço o espaço no blog, e convido as outras chapas a participarem também. E deixo um recado ao corpo docente - sinto-me satisfeito com os professores por REALMENTE estarem formando cabeças pensantes, mas gostaria de olhar pro futuro e não ver esse trabalho virar mão de obra barata.

    Ibsen.
    Música.
    Chapa 3.
    Com Muito orgulho.

    ResponderExcluir
  6. Ibsen, nosso grupo é formado apenas por estudantes.
    O fato ao qual nos referimos não aconteceu durante o debate. Ocorreu quando um dos alunos que está recolhendo as assinaturas montou uma mesinha no Ceubinho - salvo engano, na segunda-feira passada. Um dos membros da chapa 3 o chamou de reacionário em virtude do abaixo-assinado. Ao nosso ver, esse não é um comportamento agregador, mas acusacionista e intolerante. E isso não é o que se espera de uma chapa que diz lutar pelos interesses dos estudantes.

    ResponderExcluir
  7. enfim... ta certo. Mas nem tudo é da forma que agente espera né. O blog por exemplo dá um espaço interessante para as pessoas conversarem, todavia fala mal de todas as chapas e puxa saco pra chapa 5. Não sei se isso é o que podemos chamar de democrático, justo ou legítimo.

    ResponderExcluir
  8. Ibsen, esse blog é um blog de fatos sim, mas também de opiniões. Nós temos o pleno direito de apoiarmos quem acharmos melhor. Assim como o CALET se transformou em um comitê eleitoral da chapa 3 - fato que, aliás, sequer questionamos aqui.

    ResponderExcluir
  9. Discordo completamente da CHAPA 1 ser vinculado ao PT e ainda peço uma retratação, há de fato pessoas da chapa ligada ao PT e ao PSB e ao PV, mas não é sua maioria e digo, é totalmente incorreto dizer que somos ligados a tais partidos, pois temos um pouco mais de 50 pessoas na chapa e no máximo 10 pessoas são filiadas a partido.

    ResponderExcluir
  10. Pedro, temos fontes fidedignas que informam o oposto. Como você mesmo falou, há pessoas vinculadas ao PT que pertencem à chapa. Não é equivocado efetuarmos essa ligação - que, aliás, também é feita pelas outras chapas, às quais, supomos, não foi feito nenhum pedido de retratação também.

    ResponderExcluir
  11. A chapa é composta em sua maioria pela galera de serviço social, o calet está pouco se lixando com as chapas em geral. Estudantes de letras não gostam de política.

    ResponderExcluir

Antes de comentar, leia a política de comentários do blog. E lembre-se: o anonimato é, muitas vezes, o refúgio dos canalhas.